Sobre sonhos e pessoas que inspiram

Em 26.03.2017   Arquivado em Pessoal, Teatro

É comum a gente reclamar que a vida às vezes nos afasta dos nossos sonhos, mas e quando ela nos aproxima? 

Semana passada eu fui a São Paulo com uma amiga unicamente para assistir à musicais e saímos completamente encantadas com a dimensão cultural que a cidade oferece. Viajar com alguém que compartilha da mesma paixão pela Arte, assistir à espetáculos de tirar o fôlego, conversar com os atores, mergulhar no mar de oportunidades que São Paulo oferece, tudo isso fez dos 4 dias que passei na cidade mais uma dessas experiências incríveis e que transformam. 

Vou contar mais uma história – e talvez eu me torne repetitiva para quem já acompanha esse blog -, mas, desde que eu me entendo por gente, desde que eu tinha uns oito anos, mais ou menos, eu dizia que queria fazer artes cênicas em São Paulo. Ninguém nunca levou a sério, achavam que era só papo de criança. Eu mesma achava que era só papo de criança. O tempo passou e eu não mudei de ideia, mas também não a amadureci. Mudar do Piauí para São Paulo parecia completamente fora de cogitação. Então foquei nas carreiras ditas tradicionais, mas nunca deixei de participar do teatro ou de cantar nos eventos da escola. 

No entanto, essa viagem me abriu os olhos. Ver tudo acontecer em cima de um palco, a movimentação, o jogo de luzes, tudo acontecendo ao mesmo tempo, e ao vivo, de forma impecável, tudo me fazia sorrir encantada, com aquele sentimento gostoso no coração. Eu procuro palavras para descrever e não consigo. 

Eu vi RENT na primeira fileira, tão pertinho do palco que eu quase podia segurar na mão de Mimi e Roger na cena final. Os Miseráveis, no entanto, vi do balcão, e lá de cima tudo parecia como mágica, uma visão completa do palco, a montagem dos cenários durante as cenas. Mais de uma vez eu fiquei boquiaberta e sorri em meio ao choro imaginando o quão incrível era tudo aquilo. 

Mas falar com os atores após os espetáculos talvez tenha sido o momento que vou levar sempre com mais carinho. Um tio me disse uma vez que não entendia toda a euforia diante de pessoas famosas, porque na verdade elas são apenas pessoas normais, como eu e você. É aí que está a graça. É estar numa plateia e olhar alguém com tanta admiração, é ter alguém como inspiração, e depois poder falar com ela e descobrir que ela é gente como a gente, que um dia carregou o mesmo sonho que carrego e só sossegou quando o realizou. Receber atenção de alguém que você admira faz com que a gente se sinta importante e eu vou para sempre ser grata por cada abraço que recebi, cada sorriso e, principalmente por cada história compartilhada e, com elas, cada conselho e confiança que me foi passado.  

De todos para quem cheguei e disse “meu maior sonho sempre foi participar de um musical” recebi o maior incentivo, ao contrário de gente próxima a mim que sorri e acha legal montar um com meus primos nas férias de final de ano, como se ainda fosse uma brincadeira de criança. São pessoas que nem me conhecem e já parecem acreditar no meu potencial simplesmente por acreditarem no sonho. Gente que nunca me viu atuar ou cantar, mas que tiraram 5 minutos do seu tempo para perguntar se eu já tinha feito algo, se eu estudava ou simplesmente para dizer “não desiste que um dia a gente vai dividir o mesmo palco!” Eu nunca vou saber agradecer o suficiente. 

Valeu a pena viajar de tão longe para ver espetáculos tão lindos e extremamente bem feitos, com pessoas que além de talentosas são muito queridas e simpáticas (e futuramente eu vou falar de cada musical, mas hoje eu precisava agradecer). Os teatros de São Paulo ainda vão me ver bastante, mesmo que – por enquanto – seja só na plateia.  

  • Nina Spim

    Em 26.03.2017

    Oi, Ceci (de novo haha)

    Ai, tão bom ter essas experiências novas e perceber que elas agregam tanto, né? Senti algo assim quando fui à CCXP, mas mesmo no meu cotidiano eu as sinto, quando alguém – geralmente colegas de faculdade ou professores – me dizem que acreditam no meu trabalho de escritora. Acho que nunca te falei, mas a minha relação com o Jornalismo é exatamente a sua com a Psico. A diferença é que eu tenho me decepcionado bastante ao longo dos semestres com o curso, porque me sinto extremamente limitada. Mas eu acredito que vai ter um dia que estaremos bem onde sempre quisemos estar <3

    Love, Nina.

    Responder comentário

  • Cecília Maria

    Cecília Maria

    Com fé chegaremos aonde queremos, sim! É só a gente njnca desistir, por mais obstáculos que apareçam. E olha, sei que já te falei isso milhões de vezes, mas eu super acredito no seu trabalho como escritora e sou sua fã de verdade ❤
    Um beijo

    Responder comentário

  • Jeyse Cristina

    Em 26.03.2017

    Oi, Ceci! ♥
    Fico feliz por você estar conseguindo realizar seus sonhos, e espero que eles se realizem cada vez mais, a medida que for sonhando e que Deus desejar! Que você consiga ser muito feliz nessa etapa!
    Parabéns por todo seu esforço (que tenho acompanhado sempre nas redes socias! 🙂 ) e dedicação. Continue sempre assim, que você vai longe em tudo!

    E fico muito feliz em saber que São Paulo (que é a minha segunda casa hahaha) te acolheu tão bem! Espero que venha mais dias por aqui e se sinta mais em casa e encantada com tudo! ♥

    Beijinhos,
    Jey.

    Responder comentário

  • Cecília Maria

    Cecília Maria

    Oi, Jey 🙂
    Muito obrigada pela força e torcida, é muito importante receber esse apoio, porque essa carreira que eu quero seguir não é nada fácil, então saber que tem gente me apoiando e disposta a segurar minha mão pra levantar é muito gratificante.
    E eu amei São Paulo! Já tenho planos de voltar mais e mais vezes 🙂
    Beijo

    Responder comentário