Resenha: Vaclav e Lena

Em 07.05.2014   Arquivado em Livros

10247268_750380758328132_4994479656634221942_n

Vaclav e Lena parecem destinados um ao outro. Eles se encontram pela primeira vez aos 6 anos, numa aula de inglês para imigrantes em Brighton Beach, no Brooklyn. Vaclav é precoce e falante. Lena, com dificuldade no idioma, refugia-se na segurança de sua adoração por ele. Ele imagina a história dos dois se desenrolando como em um conto de fadas. No entanto, uma das muitas verdades a serem descobertas nessa extraordinária obra de estreia de Haley Tanner é que “felizes para sempre” nunca é um desfecho garantido. Um dia, Lena não vai à escola. Desaparece da vida de Vaclav e da família dele como num cruel truque de mágica. Durante os sete anos seguintes, Vaclav deseja boa-noite a Lena todos os dias, perguntando-se se ela faz o mesmo onde quer que esteja. No dia do aniversário de 17 anos de Lena, ele finalmente descobre o que aconteceu. Haley Tanner tem a originalidade e a verve de uma contadora de histórias nata, e também a ousadia de imaginar um mundo em que o amor pode superar as circunstâncias mais difíceis. Em Vaclav & Lena, a autora dá vida a dois inesquecíveis jovens protagonistas que evocam a alegria, a perplexidade e a paixão de se ter uma profunda e duradoura ligação com outra pessoa.

Antes de ler qualquer resenha eu já estava rendida a esse livro, gostei da capa, do nome, da cor azul. Finalmente consegui adquirir (um exemplar novinho, ainda no plástico!) pelo skoob e comecei a ler.

O livro é dividido em três partes: juntos (durante a infância), a separação e o reencontro. É uma leitura super leve, com frases curtas e, apesar de ser em terceira pessoa, tive a sensação de estar dentro da cabeça de cada um dos personagens, pois somos sempre bombardeados por seus pensamentos, principalmente dos protagonistas. E isso, na primeira parte, me lembrou muitoAlice no Pais das Maravilhas,  porque assim como ela, Vaclav e Lena conversam com o leitor, com todas as dúvidas, segredos e inocência típicos de criança.

Na primeira parte conhecemos uma Lena tímida, calada e misteriosa, ao mesmo tempo indefesa; e um Vaclav esperto, sonhador e nitidamente apaixonado. Na segunda, encontramos cada um tentando viver uma vida nova, com outras pessoas, outras realidades, porém mantendo viva a lembrança um do outro.

trecho vaclavelena

 O que mais gostei no livro foi o fato da autora explorar a personalidade das personagens, uma menina sempre na defensiva, que gostava de mandar e nunca desobedecer às regras; um menino inteligente, mas que ao mesmo tempo cedia às vontades da amiga e da mãe, como se a sua própria não fosse importante. Em alguns momentos parei para refletir que não se tratava de um romance padrão, voltado para jovens. Algumas vezes, senti que Vaclav e Lena  era um livro adulto, repleto de assuntos delicados, subentendidos nas ações e personalidades dos personagens.

A parte final do livro foi uma surpresa, quase que uma decepção. Foram nos últimos capítulos que senti que a história estava de fato começando. Me deparei com um Vaclav maduro, corajoso e decidido, disposto a passar por cima até da própria mãe em prol de Lena. E então, o livro simplesmente acabou e eu fiquei com a sensação de que faltava algo, de que o romance não foi explorado a fundo, de que os problemas foram apenas jogados e devidamente disfarçados, mas não de fato discutidos, resolvidos, explicados.

Apesar do final vago, eu gostei do livro. Gostei da narrativa de Haley Tanner, gostei dos personagens. É uma ótima pedida para quem quer fugir dos clichês adolescentes.